flash back

Aos 29 anos estava eu grávida pela terceira vez. Tudo parecia bem e afinal de contas não era mais marinheira de primeira viagem... Mas as coisas nunca acontecem da forma como prevemos...
No oitavo mês de gestação já estava com um barrigão respeitável e quando chegou o último mês o bebê já estava tão grande que queria a todo custo sair dali. Era um tal de se esticar e se mexer que mal dava para respirar... Dormir só se fosse recostada com muitos travesseiros! E às vezes quando estava sentada e o bebezão se sentia expremido, não fazia cerimônia, se esticava todo, cutucava minhas costelas e não tinha outro jeito: era levantar e dar uma andadinha para ele se acomodar melhor, rsrs...
E no dia 7 de janeiro de 1987 nascia o Ricardo, Kadu para os mais chegados! E já nasceu com 51 centímetros, esperneando e chorando com força total! Diferente dos irmãos tinha já uns cabelinhos na cabeça e eram espetados, muito engraçadinho!
Criança linda com cabelos lisinhos e loiros e uns olhos arregalados de cílios compridos, sapeca que só ele! Arteiro, teimoso e carinhoso, eram seus predicados.

Já se escondeu no armário debaixo da pia e dormiu, quando tinha menos de 1 ano, nos deixando loucos achando que tinha fugido ou caído da janela do apartamento onde morávamos... Também já sumiu, aos 8 anos (quando já morávamos na casa em que estamos até hoje) e como eu tinha dado uma bronca nele por alguma peripécia, depois de procurar por toda a casa e quintal, conclui que ele tinha saído de casa... Depois de ligar para o marido, para a vizinhança e os amigos já no desespero, minha empregada que já conhecia as manhas do garoto espoleta, resolveu procurar onde ele gostava de brincar: nas árvores do quintal... E o danadinho estava lá num galho alto da mangueira bem quietinho vendo todo o movimento, igual a um passarinho no ninho! Não sei se queria dar umas palmadas ou beijar e abraçar o pequeno arteiro!!!
Sempre foi muito convicto de suas idéias e projetos. Quando criança e até hoje, não se convence fácil de qualquer que seja o assunto, até que se prove por A + B o fundamento do que se está falando! Quando pequeno só seguia os ensinamentos se fosse convencido por palavras. Caso achasse que não era bem assim, podia levar uma palmada, ficar de castigo, e não mudava de opinião.

Muito crítico, não gosta de assistir televisão, porque segundo ele, massifica o pensamento...
Gosta de música e é baterista excepcional. Já tentou me ensinar algumas batidas, mas isso é coisa para quem tem muito controle motor dos membros superiores e inferiores, aff!!!
Estudava Engenharia Elétrica e no quinto período chegou à conclusão que não era isso que queria e recomeçou do zero para se formar em Direito. Agora sim está empolgado e seus olhos brilham quando comenta sobre o curso e as atividades no estágio! Fiquei muito feliz por tê-lo apoiado nessa mudança que fará a diferença para sua felicidade no resto de sua vida! Confesso que foi difícil para todos nós, e muito mais para ele, mas valeu a pena!!!
Caçula de uma prole de 3 filhos, marido chama carinhosamente o rapaz de "Kaduzin, nenenzin de papai". Mas de mimado não tem nada. Aliás é o coringa dos irmãos, que gostam de sua participação e ajuda na maioria das vezes.
Hoje vamos comemorar seus 24 anos e, extrovertido como ele sempre é, resolveu fazer uma festinha cor de rosa, em alusão ao número sugestivo da idade!
Vai ser muito engraçado, e agora preciso acabar de organizar tudo, hehehe!
Ao meu caçulinha muitas felicidades, com amor, saúde e sucesso profissional em todo o resto dos seus dias igualmente especiais!!!!!!!
Bjs da mamy e do papy.

4 comentários:

Marcia disse...

Parabéns para o filhão e para vc também, querida!!
Beijoca e um lindo final de semana.

Tina disse...

Parabéns ao seu filho...que o Senhor o abençoe grandemente.
E a voce o meu abraço carinhoso, e um final de semana muito feliz
beijinho
Tina (SONHAR E REALIZAR)

Ellen Daiane disse...

Oi, vim agradecer seu comentario lá no meu cantinho, parabéns ao filhote e a vc também.
Vi seu posts dos seus móveis de madeira e adorei, são lindos..bjooos

Nárriman disse...

Raquel, qque post mais gostoso de ler!!! Adorei conhecer o "Kaduzin" e saber de suas travessuras quando criança. Também passei por essa situação aqui em casa com o filho do meio que resolveu parar um curso e recomeçar em outro, sei que não é fácil mas a gente só pesna na felicidade deles, né?
Bjs, parabéns para o filhão e que Jesus ilumine seu caminho.