revolucionar a si mesmo...



Meu tempo anda meio curto para fazer o que mais gosto: postar no meu cantinho querido!
Aposto que vocês acharam que meu desktop tinha me deixado na mão outra vez...mas a culpa não foi dele, que agora está funcionando às mil maravilhas!
O fato é que "tive" que viajar para o Rio de Janeiro e passei 10 dias por lá, aproveitando as belezas daquela terra! E com todas as notícias alarmantes que se vê nos noticiários (agora com os arrastões nas avenidas, aterrorizando os ocupantes dos carros...), ainda consigo me encantar com as peculiaridades desse grande centro urbano, onde passo pelo barulho de uma rua movimentada por carros e pessoas apressadas, lojas, bancos e supermercados cheios, e, caminhando alguns quarteirões adiante alcanço uma rua tranqüila, com pessoas passeando com seus cães e vizinhos conversando nas entradas dos edifícios!
Os preparativos para essa viagem me absorveram muito tempo para organizar os nossos documentos (meu e do marido), pois fomos fazer a entrevista no consulado americano para obtenção do visto e assim irmos conhecer os EUA. Mas tudo valeu a pena porque fomos "aprovados" para o nosso sonhado passeio.
E maridinho voltou para o trabalho e eu fiquei lá mais uns dias, rsrs...
Por causa desse "stress" com a entrevista, sabe como é marinheiro de primeira viagem, acabei esquecendo minha companheira inseparável, a máquina fotográfica! Ô raiva de mim! Passaria todos esses dias sem um click, com tanta coisa para mostrar aqui...
Então eis que no domingo(dia 3), estava eu lendo o jornal O Globo, ainda de mau humor comigo pelo esquecimento, e me deparei com um texto da Martha Medeiros na seção ELA DISSE da Revista O Globo, que transcrevo agora:


Na terra do "se"

Se quem luta por um mundo melhor soubesse que toda revolução começa por revolucionar antes a si próprio.
Se aqueles que vivem intoxicando sua família e seus amigos com reclamações fechassem um pouco a boca e abrissem suas cabeças, reconhecendo que são responsáveis por tudo que lhes acontece.
Se as diferenças fossem aceitas naturalmente e só nos defendêssemos contra quem nos faz mal.
Se todas as religiões fossem fiéis a seus preceitos, enaltecendo apenas o amor e a paz, sem se envolver com as escolhas particulares de seus devotos.
Se a gente percebesse que tudo o que é feito em nome do amor ( e isso não inclui o ciúme e a posse ) tem 100% de chance de gerar boas reações e resultados positivos.
Se as pessoas fossem seguras o suficiente para tolerar opiniões contrárias às suas sem precisar agredir e despejar sua raiva.
Se fôssemos mais divertidos para nos vestir e mobiliar nossa casa, e menos reféns de convencionalismos.
Se não tivéssemos tanto medo da solidão e não fizéssemos tanta besteira para evitá-la.
Se todos lessem bons livros.
Se as pessoas soubessem que quase sempre vale mais a pena gastar dinheiro com coisas que não vão para dentro dos armários, como viagens, filmes e festas para celebrar a vida.
Se valorizássemos o cachorro-quente tanto quanto o caviar.
Se mudássemos o foco e concluíssemos que infelicidade não existe, o que existe são apenas momentos infelizes.
Se percebêssemos a diferença entre ter uma vida sensacional e uma vida sensacionalista.
Se acreditássemos que uma pessoa é sempre mais valiosa do que uma instituição: é a instituição que deve servir a ela, e não o contrário.
Se quem não tem bom humor reconhecesse sua falta e fizesse dessa busca a mais importante da sua vida.
Se as pessoas não se manifestassem agressivamente contra tudo só para tentar provar que são inteligentes.
Se em vez de lutar para não envelhecer, lutássemos para não emburrecer.
Se.


Ao final da leitura, levantei da poltrona, cheguei na janela, respirei fundo e pensei que já havia revisto tantos conceitos errados que tinha antes, e que nesta fase da minha vida estava ali justamente começando a concretizar mais um sonho de conhecer novos lugares, descobrir novos costumes, sentir novas emoções...
E fiquei tão feliz que já nem me lembrei mais da máquina fotográfica!
Bjs e uma boa semana!

1 comentários:

Ana Maria ( Jeito de Casa ) disse...

oi Raquel

Amiga, que felicidade em receber tua visitinha!!!
que bacana que vcs vão viajar!!!
ainda não conheço o Rio , mas já ando com vontade de conhecer apesar de tudo que vemos pela tv...
lindo texto, bela reflexão.

bjus eum ótimo dia