srta alegria


Hoje é o dia do aniversário da minha filha que completa 28 anos. A escolha do nome, Letícia, foi feita pelo meu marido e significa alegria; analisando depois que ela chegou a esse mundo, não poderia haver outro que combinasse tão bem.
Sapeca e feliz quando criança, determinada e feliz agora.
Primeira filha, primeira neta, primeira sobrinha, primeira bisneta, foi cercada de tantos cuidados e mimos.
Mas nem ligava para tanto aparato, já arrancava logo lacinhos, mimosos sapatinhos, pulseiras e brincos.
Queria mesmo era brincar, pular, correr, rir...
Já cortou os cabelos e os cílios, já desenhou nas paredes, já quase se afogou num riacho...
Me lembro dos brinquedos de menina que compravamos para ela, mas cadê a calma e serenidade para brincar sentadinha com as bonecas, panelinhas, móveis em miniatura...
Felicidade era dançar ouvindo os discos da Xuxa, cantar no microfone do "Meu Primeiro Gradiente", brincar no quintal fazendo lama, andar de carrinho de rolimã com os irmãos, passear de bicicleta e voltar vermelha e suada com uma carinha feliz...
E era a líder em todas as brincadeiras, tinha que determinar sempre como seriam as regras e o papel de cada um.
Na escola era querida pelos professores, porque com toda essa energia para as brincadeiras, também não faltava vontade e prazer pelos estudos, sendo sempre excelente aluna.
Amiga das amigas, sempre com seus conselhos e principalmente suas risadas e bom humor.
Terminou seu curso de graduação em Design Gráfico, fez mestrado e agora está no terceiro ano de doutorado. Revelou-se, segundo seus orientadores, uma historiadora e pesquisadora de grande potencial para a memória gráfica brasileira.
E com tudo isso, não deixou de ser a nossa única filha (do sexo feminino, entenda-se aqui), com seus dengos e necessidades de carinho da família, apesar de já ser auto-suficiente e com vida própria e bem resolvida.
Precisava gravar esse remake da memória aqui, para no final agradecer a ela pelos momentos bons que passamos em família e desejar muitas e muitas alegrias mais por toda a vida!!!!
Deus te abençoe e te guie!

Lele e eu - mais que uma filha, uma amiga e companheira

Queridas amigas, coloquei aqui um pedacinho da minha vida em família partilhando minha história com vocês, obrigada pelo seu interesse!
Bjbjbj

5 comentários:

Ana Maria ( Jeito de Casa ) disse...

oi Raquel

Parabéns pra filhota linda, inteligente e amorosa!!!

bjus amiga

Letícia disse...

mamae, que lindo...estou rindo e chorando ao mesmo tempo. muito obrigada pelas palavras, impressionante como vc escreve bem e conseguiu sintetizar tanta coisa, tantos momentos e caracteristicas. te amo e vou sempre ser dengosa e sentir saudades do colo de vcs. te amo muito! vc 'e meu porto seguro! mil beijos!
Lele
ps.: o teclado do imac est'a desconfigurado, por isso tudo est'a sem acento...

Laély disse...

Raquel, que coincidência de temas, não é?: "Filhos"
Tão linda, a foto que abriu o post!
Lendo seu comentário no blog, desejei manter-me como bom exemplo de pessoa e mãe, para ter o privilégio que você está tendo: ver os filhos, batendo a cabeça, mas levantando nas próprias pernas e sabendo que podem contar com pais sábios, como vocês.
O engraçado texto da Silmara, recomendado no post, fala exatamente sobre como os filhos aprendem ou desaprendem, pelo exemplo dos pais.
Linha dura, ou mais liberal, a verdade é que em toda família saudável, há interesse dos pais em ajudar a formar filhos, melhor que eles próprios.
Minha mãe estudou e fez 2 faculdades; muito mais que minha vó, sem estudo nenhum. Eu, já consegui ir um pouco mais. Meus filhos, quero que me ultrapassem! Isso não é orgulho bobo, mas é a necessidade de fazer o mundo andar pra frente, através das nossas pernas. E os filhos, serão uma extensão de nossas pernas, inclusive, literalmente: esperamos que carreguem nosso corpo, cansado e velhinho, quando não formos mais capazes de usá-las, tal qual fazíamos com eles, quando eram bebês. É o ciclo da vida...
Um abraço e prabéns pela bela família!

Marcia disse...

Raquel, lindo depoimento. Li e pensei na relação que tenho com minha mãe. Tão especial quando a sua. Falo pelo ponto de vista de filha (e concordo com o comentário deixado acima pela sua): mães, quando especiais, são nosso porto seguro pela vida inteira.
Parabéns para ela, pelo aniversário, e para vc, por essa coisa tão bacana que vcs têm. Beijoca e bom final de semana.

Raquel Santos disse...

Oi amiga, voltei.Amei suas almofadas.Em breve vou fazer umas pra mim também para colocar no meu banco de pallets que vou fazer pra colocar no meu quintal.Quando fizer vou mostrar.Amei também esse quitizinho de saquinho e estojinho.No domingo fiz um saquinho também pra levar pro trabalho.Parabéns pela filhona.Bjs